Quem foi Rei Uzias e o que aprendemos com sua história?

Hoje veremos um uma grande história, do Rei Uzias. O que aprendemos com sua trajetória?  O que nos assemelhamos e o que divergimos à ele?

Texto base: 2 Crônicas 26

O Reinado de Uzias, Rei de Judá

1 Então todo o povo de Judá proclamou rei a Uzias[a], de dezesseis anos de idade, no lugar de seu pai, Amazias. 
Foi ele que reconquistou e reconstruiu a cidade de Elate para Judá, depois que Amazias descansou com os seus antepassados.
Uzias  tinha dezesseis anos de idade quando se tornou rei, e reinou cinqüenta e  dois anos em Jerusalém. Sua mãe era de Jerusalém e chamava-se Jecolias.  
Ele fez o que o Senhor aprova, tal como o seu pai Amazias; 
e buscou a Deus durante a vida de Zacarias, que o instruiu no temor[b] de Deus. Enquanto buscou o Senhor, Deus o fez prosperar.
Ele  saiu à guerra contra os filisteus e derrubou os muros de Gate, de Jabne  e de Asdode. Depois reconstruiu cidades próximo a Asdode e em outros  lugares do território filisteu. 
Deus o ajudou contra os filisteus, contra os árabes que viviam em Gur-Baal e contra os meunitas. 
Os amonitas pagavam tributo a Uzias, e sua fama estendeu-se até a fronteira do Egito, pois havia se tornado muito poderoso.
Uzias construiu torres fortificadas em Jerusalém, junto à porta da Esquina, à porta do Vale e no canto do muro. 
10 Também  construiu torres no deserto e cavou muitas cisternas, pois ele possuía  muitos rebanhos na Sefelá e na planície. Ele mantinha trabalhadores em  seus campos e em suas vinhas, nas colinas e nas terras férteis, pois  gostava da agricultura.
11 Uzias  possuía um exército bem preparado, organizado em divisões de acordo com  o número dos soldados convocados pelo secretário Jeiel e pelo oficial  Maaséias, sob o comando de Hananias, um dos oficiais do rei. 
12 O total de chefes de família no comando dos homens de combate era de dois mil e seiscentos. 
13 Sob  o comando deles havia um exército de trezentos e sete mil e quinhentos  homens treinados para a guerra, uma força poderosíssima que apoiava o  rei contra os seus inimigos. 
14 Uzias providenciou escudos, lanças, capacetes, couraças, arcos e atiradeiras de pedras para todo o exército. 
15 Em  Jerusalém construiu máquinas projetadas por peritos para serem usadas  nas torres e nas defesas das esquinas, máquinas que atiravam flechas e  grandes pedras. Ele foi extraordinariamente ajudado, e assim tornou-se  muito poderoso e a sua fama espalhou-se para longe.
16 Entretanto, depois que Uzias se tornou poderoso, o seu orgulho provocou a sua queda. Ele foi infiel ao Senhor, o seu Deus, e entrou no templo do Senhor para queimar incenso no altar de incenso.
17 O sumo sacerdote Azarias, e outros oitenta corajosos sacerdotes do Senhor, foram atrás dele. 
18 Eles o enfrentaram e disseram: “Não é certo que você, Uzias, queime incenso ao Senhor.  Isso é tarefa dos sacerdotes, os descendentes de Arão consagrados para  queimar incenso. Saia do santuário, pois você foi infiel e não será  honrado por Deus, o Senhor”.
19 Uzias,  que estava com um incensário na mão, pronto para queimar o incenso,  irritou-se e indignou-se contra os sacerdotes; e na mesma hora, na  presença deles, diante do altar de incenso no templo do Senhor, surgiu lepra[c] em sua testa. 
20 Quando  o sumo sacerdote Azarias e todos os outros sacerdotes viram a lepra,  expulsaram-no imediatamente do templo. Na verdade, ele mesmo ficou  ansioso para sair, pois o Senhor o havia ferido.
21 O rei Uzias sofreu de lepra até o dia em que morreu. Durante todo esse tempo morou numa casa separada[d], leproso e excluído do templo do Senhor. Seu filho Jotão tomava conta do palácio e governava o povo.
22 Os demais acontecimentos do reinado de Uzias, do início ao fim, foram registrados pelo profeta Isaías, filho de Amoz. 
23 Uzias  descansou com os seus antepassados e foi sepultado perto deles, num  cemitério que pertencia aos reis, pois o povo dizia: “Ele tinha lepra”.  Seu filho Jotão foi o seu sucessor.

Contexto Histórico

O Rei Uzias foi rei de Judá, o seu reinado ocorreu entre 792 e 740  AC. Quando morre o rei Salomão, Israel se divide em: Reino de Israel, ao  norte, e o reino de Judá, ao Sul. Uzias  era filho e foi sucessor de  Amasias no trono do reino do sul.

Primeiro Ponto: Deus pode nos colocar em lugares altos e de importância, independente de nosso tamanho ou idade.

No auge da sua juventude, com apenas dezesseis primaveras, Uzias se viu diante de uma responsabilidade inimaginável. Sua ascensão ao trono trouxe consigo a necessidade de amadurecer rapidamente, pois ele agora seria o modelo a ser seguido por todo o reino. Com toda a sua juventude e inexperiência, Uzias enfrentou desafios que nenhum adolescente comum poderia imaginar. Ele sabia que tinha muito a aprender e crescer, mas também estava ciente de que não podia se deixar intimidar. Determinado a se tornar um rei sábio e justo, Uzias encarou sua nova posição com coragem e determinação. Seu desejo de se tornar um exemplo para seu povo o impulsionou a buscar conhecimento e sabedoria. Ainda que jovem, ele entendia a importância de superar obstáculos e se tornar um líder respeitado. Aos dezesseis anos, Uzias estava ciente de que o caminho à sua frente seria desafiador, mas estava determinado a honrar sua posição e a inspirar o seu povo com seu exemplo.

Segundo ponto: É importante deixarmos a tristeza e seguirmos em frente

O rei poderia usar a morte de seu pai para desviar seus planos, para priorizar uma vingança, para cegamente querer a morte daqueles que mataram seu pai, mas não, ele resolver focar em seguir adiante, em dar o seu melhor, em ir à luta!

Podemos aprender muito com isso. Todos temos nossos momentos tristes, e a ideia aqui é não menosprezá-los. Todos temos nosso momento de luto, de sacrifício, de sofrimento. E de forma alguma esta mensagem tem a intenção de diminuir às suas lutas. A mensagem aqui é que você não pode e não deve usar as suas lutas como argumento para se desviar do Senhor. Nós não podemos usar como argumento nosso sofrimento para abrir mão de fazer o que é correto.

Terceiro Ponto: Quem tem sido seu mentor?

Notem que o rei foi instruído por um profeta. E que veremos logo mais o peso de sermos instruídos por pessoas sérias, comprometidas com o Evangelho. Em quem nós estamos buscando conselhos para nossa vida? Em quem nós temos nos espelhado?

Obs. Há vários Zacarias na Bíblia. Este Zacarias não é o mesmo que é mencionado no livro de Zacarias, Esdras e Ageu. É importante destacar que é fundamental reconhecermos a importância da orientação recebida do profeta pelo rei. Nós devemos valorizar e buscar conselhos de pessoas sérias e comprometidas com o Evangelho, pois elas podem oferecer uma perspectiva valiosa para nossa vida. Além disso, é relevante refletirmos sobre a fonte de nossas referências. Quem tem sido nosso exemplo e modelo a ser seguido? Devemos escolher com sabedoria aqueles que admiramos e nos espelhamos, pois isso impacta diretamente nas nossas escolhas e no nosso crescimento espiritual.

Quarto Ponto: Qual é o logado que você deixará?

No verso 4 vemos que Uzias seguiu o caminho de seu pai Amazias. Mesmo com sua história tendo chegado ao fim, os frutos de seus ensinamentos continuaram. Qual legado deixaremos para nossos filhos? Se morrêssemos hoje, o que nossos filhos aprenderiam com nosso cristianismo, com a forma que somos em casa, que somos no trabalho, na igreja… o que deixamos para eles?

Quando refletimos sobre o exemplo de Uzias e seu pai, somos inspirados a pensar além de nós mesmos e considerar o impacto que nossas ações têm nas gerações futuras. Devemos ser diligentes em transmitir princípios sólidos, valores morais e uma fé inabalável aos nossos filhos. Por meio do nosso testemunho e do nosso compromisso com o cristianismo, podemos influenciá-los positivamente e deixar um legado duradouro. Em casa, devemos demonstrar amor, respeito e compaixão. Devemos ser modelos a serem imitados, mostrando-lhes como se relacionar com os outros e como viver em harmonia. No trabalho, devemos ser éticos, responsáveis e dedicados, sempre buscando a excelência em tudo o que fazemos. Na igreja, devemos ser participantes ativos, envolvidos no serviço e dispostos a ajudar os outros.

Ao deixarmos um legado para nossos filhos, estamos capacitando-os a se tornarem pessoas confiantes, compassivas e comprometidas, estamos moldando seu caráter e capacitando-os a enfrentar os desafios da vida com coragem e fé. Portanto, que possamos ser intencionais em nosso exemplo, sabendo que nossas ações hoje influenciarão o futuro de nossos filhos.

Quinto Ponto: Quando estamos com Deus, nossas derrotas são temporárias

Verso 2 – Uzias é quem vai e reconquista
Não é sempre que ganharemos. Não é sempre que estaremos em nosso melhor estágio espiritual; mas com Deus, sabemos que Ele pode nos fazer reconstruir, reconquistar, avançar. A derrota vem por um instante, mas a escuridão dá lugar à luz a cada nova manhã, temos a chance de vencer. Seja a família, seja o casamento, seja no emprego. Quando voltamos para Deus, Ele pode nos restituir, Ele pode trazer de volta a paz que você tinha, ou pode te trazer força para ganhar a luta, dependendo do momento de sua vida. Com Ele ao nosso lado, podemos enfrentar qualquer desafio, superar qualquer obstáculo e conquistar grandes vitórias. Acredite na sua capacidade de se recuperar e avançar. Seja resiliente.

Sexto Ponto: Deus potencializa nossas estratégias, nossa inteligência, nossa capacidade de gestão, nossa liderança em todos os ângulos e coloca pessoas excelentes ao nosso lado.

Verso 7 a 15

Quando lemos dos versos 7 ao 15, vemos Deus amplificando e aumentando significativamente as estratégias de Uzias. Ele fortalece e potencializa nossa inteligência, nossa capacidade de gestão e nossa liderança em todas as suas dimensões. Além disso, Ele coloca ao nosso lado pessoas excelentes, dotadas de habilidades excepcionais. Com a ajuda divina, somos capazes de alcançar resultados ainda mais grandiosos e superar desafios com mais determinação.

Sétimo Ponto: A soberba toma conta de seu coração

versos 16 e 17

Um pecado que vemos a mão do Senhor agir é a soberba, a altivez, Deus não permite dar seu crédito a outro.

Mateus 23.12 Pois todo aquele que a si mesmo se exaltar será humilhado, e todo aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.

Provérbios 16.18 O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda.

Provérbios 18.12 Antes da sua queda o coração do homem se envaidece, mas a humildade antecede a honra.

Sacerdotes e representantes honestos; que não mudam de opinião nem se vendem. Não necessitam bajular. Não fazem vista grossa pro rei. A soberba é um pecado que frequentemente testemunhamos a intervenção divina. Deus não permite que ninguém receba o crédito que pertence somente a Ele.

Essa mensagem é evidenciada na passagem de Mateus 23.12, que nos ensina que aqueles que exaltam a si mesmos serão humilhados, enquanto aqueles que se humilham serão exaltados. Além disso, Provérbios 16.18 nos alerta sobre o perigo do orgulho, que precede a destruição, e Provérbios 18.12 ressalta a importância da humildade antes da honra. É fundamental que os sacerdotes e representantes sejam honestos, íntegros e não se deixem corromper. Eles não devem bajular ou fazer vista grossa para os poderosos.

Oitavo Ponto: Sepultado como um qualquer.

Não podemos nos esquecer. Com soberba ou sem soberba. Com desobediência ou obediência, um dia nós morreremos, e não sabemos como morreremos. O que deixaremos para trás e o que encontraremos pela frente? O que você você tem preparado para quem será? Não podemos ignorar este fato inevitável. Seja que encaremos com arrogância ou humildade, sejamos desobedientes ou obedientes, chegará o momento em que partirão nossos dias. Não temos conhecimento do modo como isso acontecerá. Quais marcas deixaremos para trás? E você, o que tem preparado para aqueles que virão depois de você?

Compartilhe…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Veja também