sábado , abril 20 2019
Breaking News
Home / Uncategorized / Como Deus se Revela ao Homem

Como Deus se Revela ao Homem

Revelação Geral e Revelação Especial

Texto base: Salmo 19, Hebreus 1,1-4

Salmo 19

1 Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos.
2 Um dia fala disso a outro dia; uma noite o revela a outra noite.
3 Sem discurso nem palavras, não se ouve a sua voz.
4 Mas a sua voz ressoa por toda a terra e as suas palavras até os confins do mundo. Nos céus ele armou uma tenda para o sol,
5 que é como um noivo que sai de seu aposento e se lança em sua carreira com a alegria de um herói.
6 Sai de uma extremidade dos céus e faz o seu trajeto até a outra; nada escapa ao seu calor.
7 A lei do Senhor é perfeita e revigora a alma. Os testemunhos do Senhor são dignos de confiança e tornam sábios os inexperientes.
8 Os preceitos do Senhor são justos e dão alegria ao coração. Os mandamentos do Senhor são límpidos e trazem luz aos olhos.
9 O temor do Senhor é puro e dura para sempre. As ordenanças do Senhor são verdadeiras, são todas elas justas.
10 São mais desejáveis do que o ouro, do que muito ouro puro; são mais doces do que o mel, do que as gotas do favo.
11 Por elas o teu servo é advertido; há grande recompensa em obedecer-lhes.
12 Quem pode discernir os próprios erros? Absolve-me dos que desconheço!
13 Também guarda o teu servo dos pecados intencionais; que eles não me dominem! Então serei íntegro, inocente de grande transgressão.
14 Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador!

Hebreus 1.1-4

1 Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas,
2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.
3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,

Alvo da lição

Saber

Ter consciência dos diversos meios que Deus usa para Se revelar aos homens

Sentir

Refletir sobre as definições de “revelação” e “inspiração

Agir

Buscar conhecer mais, e valorizar ainda mais o acesso às escrituras.

Por que a Bíblia é um livro único e incomparável? Dentre outras, temos estas tazões.

  • Única na sua coerência: mais de 1500 anos para ser escrita, além de contar com o trabalho de 40 autores diferentes, em diferentes idiomas e lugares diferentes
  • Única em circulação: continua sendo o livro mais distribuído em todo o mundo
  • Única em sobrevivência: A Bíblia foi feita em material perecível, mas suas cópias sobreviveram através dos tempos. Além disso, ela sobreviveu a diversas perseguições e críticas
  • Única nos ensinos
  • Única na sua influência na literatura

Há um fator que se sobrepõe aos demais: a Bíblia é a revelação de Deus. Às escrituras foram inspiradas a fim de que recebêssemos um fiel registro de tudo o que Deus quis nos comunicar. Temos, além delas, outros meios que Ele escolheu para mostrar-Se a nós.

1 Como Deus Se revela

Antes de estudar os métodos de revelação de Deus, precisamos definir o que é revelação

Há várias maneiras de definir esse processo, e uma delas é: o ato de mostrar-se claramente. Em grego, revelação significa descobrir, tirar o véu. Então, quando falamos sobre a revelação de deus, dizemos que, por iniciativa própria, Ele tirou o véu para Se mostrar a nós. Geralmente dividimos os processos de revelação de Deus em dois grupos:

Geral: que engloba a Criação e a Consciência e

Especial: que inclui Jesus Cristo e a Bíblia

1.1 Criação

Observando cuidadosamente Salmo 19.1-6 podemos perceber a maneira como a criação revela Deus. Esse trecho é a refer6encia mais conhecida a esse respeito.

  1. Contínua: (Sl 19.2). Um dia declara para outro, e uma noite para a outra a glória e a sabedoria de Deus. A criação nunca para de pregar para nós verdades sobre o ser de Deus e os Seus maravilhosos atributos.
  2. Visual: (Sl 19.3). A criação não usa palavras, mas sim, ilustrações. Isso porque abre o leque de pessoas que podem compreendê-la, pois não é necessário ler ou ter qualquer habilidade específica.
  3. Abrangente (Sl 19.4). Toda a Terra, sem exceção, pode ouvir a mensagem revelada de Deus pela criação. Mesmo aqueles homens que moram no rincão mais longínquo do mundo têm acesso a esse tipo de conhecimento de Deus

Romanos 1.20 completa o ensinamento desse salmo nos mostrando que todo homem é indesculpável porque a criação mostra o suficiente para que ele saiba da existência de Deus:

“Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são por isso, indesculpáveis”.

1.2 Consciência

Romanos 2.14-15 é o texto clássico para nos ensinar que Deus plantou na mente do homem um conhecimento intuitivo a respeito de Sua existência. Não um conhecimento detalhado, mas o suficiente para saber que Ele existe e mais aquilo que Lhe agrada em termos de certo e errado, Os judeus tinham a lei escrita, enquanto os gentios tem a lei “inscrita”, ou seja, escrita interiormente em si mesmo. A consciência também é um modo de revelação abrangente porque ela é inata. Todos têm acesso a ela independente de hábitos ou de formação pessoal. Walter Elwell nos diz que “a consciência é um dom de Deus. É a guardiã da moralidade, da justiça, da decência do mundo. É o testemunho irrefutável da existência de Deus”. Todos os homens estabelecem uma relação com a sua consciência, e sua ação é tão forte que alguns, para escapar dela e de sua voz perturbadora, procuram ignorá-la, perverte-la, agir com dúvida (Rm 14.23) ou mata-la (1Tm 4.2)

1.3 Jesus Cristo

Se usássemos somente os primeiros versículos de Hebreus 1, teríamos material suficiente para entender a importância da revelação de Deus, através de Jesus Cristo. Há, pelo menos, duas afirmativas nesse texto que podem nos levar a essa conclusão.

  1. O autor afirma que enfaticamente que hoje Deus fala conosco através da vida e obra de Seu filho. Compara como nosso Deus revelou no passado e exalta o Filho como a maneira excelente e suprema da revelação do Senhor aos homens
  2. Observe: “a expressão extada de seu Ser” (Hb 1.3). Não há dúvida de que Jesus Cristo é tudo o que Deus é sem deixar escapar nenhum detalhe. Ele é a principal revelação de Deus (Jo 10.30). As escrituras registram Seu ministério e Seu próprio ensinamento sobre como conhecer a Deus, por meio de segui-lo (Jo 1.18, 14.10)

1.4 Escrituras

Essa última também é chamada de revelação especial. Deus escolheu homens a quem inspirou para que registrassem toda a revelação que Ele decidiu fazer a respeito de Si mesmo. As Escrituras não têm a intensão de provar a existência de Deus, mas de mostrar Seu plano de amor e de redenção para a humanidade. É pela bíblia que os homens podem obter a mensagem de salvação.

2 Por que Deus escreveria um Livro?

Sem pensar muito, há uma resposta quase automática para essa pergunta: Porque o livro era e ainda é o meio mais seguro para perpetuar algo que seu autor deseja que se torne conhecido. No entanto, há algumas razões mais detalhadas que podemos perceber e estudar.

2.1 Porque Deus se comunica (Hb 1.1)

Deus se comunicou com o homem, desde o princípio momento da criação. Conforme o tempo foi passando, Deus foi adequando a forma de comunicação ao contexto do homem e como esse homem poderia entendê-Lo. Com Adão, Deus falava face a face; por meio de Moisés, Deus deu leis escritas para o povo desde o deserto. Depois vieram os profetas que decretavam ao vivo e em cores a palavra do Senhor diretamente de Deus ao povo daquela época, temos o testemunho nos escritos dos apóstolos sobre a inspiração e a validade das Escrituras como palavra de Deus. Podemos receber toda essa informação por causa da Bíblia, que é a voz de Deus para a igreja de nossos dias.

2.2 Por que Deus conhece as vantagens da escrita

Escritura é um documento no qual informações são gravadas. Quantas coisas de valor um papel suporta: escritura de imóveis, testamentos, heranças, dinheiro (papel-moeda), etc..

As vantagens de um registro escrito são muitas:

  • Duráveis
  • Fácil divulgação e tradução
  • Atributos de fixação

Além das vantagens acima, Wayne Grudem, em sua Teologia Sistemática, nos dá algumas vantagens da escrita sobre outro meio de revelação:

  1. A escrita nos dá uma preservação muito mais precisa das palavras de Deus para as gerações seguintes. A memória e a tradição oral são válidas, mas morrem com os detentores da informação.
  2. Oportunidade para exame repetido: todos os interessados em conferir e aprender mais sobre a Escritura, podem voltar à Bíblia e estuda-la. Não há um tempo determinado se esgotando para o acesso à palavra de Deus, todo homem é livre para pedir ao Senhor a compreensão daquilo que lê
  3. Acessibilidade a muito mais pessoas: a escrita é democrática, muitas pessoas ao redor do mundo podem ter acesso à Escritura Sagrada ao mesmo tempo. É a palavra escrita que possibilita a tradução em vários idiomas para diferentes povos.

2.3 Porque o homem é capaz de conhecer plenamente a verdade

Se isto não fosse verdade, o apóstolo Paulo não teria afirmado que Deus “deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1Tm 2.4)

Durante seu ministério terreno, Jesus Cristo nunca afirmou que, pelo fato das Escrituras não serem muito claras, eles erravam. Mas, afirmou que por não aceitarem o que estava tão claramente escrito, cometiam erros. As expressões; “não leste” (Mt 12.3,5; 19.14;22.31) e  “nunca lestes nas escrituras” (Mt 21.42) ou “errais não conhecendo as escrituras” (Mt 22.29), reforça o que estamos afirmando.

Paulo queria que suas epístolas fossem lidas para toda a igreja (1Co 1.2; Gl 1.2; Cl 4.16). é claro que com isso ele supunha que todos iriam entender o que ele escreveu, inspirado pelo Espírito Santo.

Conclusão

Há algumas atitudes práticas que podemos ter após estudar as verdades sobre a revelação de Deus. São decisões que podem ser desenvolvidas na vida devocional e na vida comunitária na igreja. Podemos aumentar essa lista conversando com outros sobre o assunto. Aqui vão algumas sugestões:

1 Louvar a Deus porque Ele decidiu Se dar ao nosso conhecimento

2 Admirar a criação do Senhor e louvá-Lo por cada um de Seus atos criativos

3 Orar por aqueles grupos que ainda não têm a Bíblia na própria língua.

4 Valorizar o acesso que temos à revelação escrita de Deus, separando um tempo diário para ler e meditar na bíblia

Gostou deste artigo? Quer aprender mais da bíblia? navegue pelos nossos menus e conheça nossa sessão “Compreendendo a Bíblia
Quer pedir algum artigo, ser nosso patrocinador ou nos enviar um “olá”? clique aqui

About admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *