O que aprendemos com a tentação de Jesus

Texto base: Marcos 1:12-13

12 Logo depois o Espírito Santo fez com que Jesus fosse para o deserto.
13 Jesus ficou lá durante quarenta dias, sendo tentado por Satanás. Ali havia animais selvagens, e os anjos cuidavam de Jesus

Visão geral da tentação pela ótica de Marcos

Notem que há uma diferença nos evangelhos; notem que estamos acostumados a ver a tentação de Jesus naqueles três pontos onde vem o próprio Satanás contudo, mesmo resumidamente, Marcos nos dá uma ótica com informações importantes:

  • Tempo de tentação: Notem que Jesus foi tentado por Satanás durante os 40 dias de jejum, e não apenas no final do período.
  • Batismo do povo de Moisés no deserto: Alguns estudiosos comparam a tentação de Jesus com Moisés no Deserto, indicando que o foi batizado no mar e depois tentado no deserto por 40 anos. (1Co 10)
  • Dificuldade da tentação: Adão foi tentado no Jardim, Jesus, no deserto, indicando um nível maior de dificuldade, sendo provado de forma incisiva e forte em seus desejos da carne e nos seus limites

Lição que aprendemos (aplicação)

Após o batismo ou após compreendermos que Jesus é nosso Salvador, estamos sujeitos a todo tipo de sorte de coisas, inclusive desertos e tentações, e se isto acontecer, não significa que estamos errando em algo, ou que Deus nos desaprova de alguma forma.

Jesus não é um amuleto, não é um escudo de coisas terrenas, onde nada de mal nunca mais lhe acontecerá. Ele nos protege não há duvidas! mas este não pode ser nosso alicerce de fé, não pode ser o motivo de nossa conversão.

Observem: A bíblia diz que o Espírito Santo fez com que Jesus fosse ao deserto. Lendo com calma, nos dá a impressão de que Jesus não foi consultado se deveria ir ou não, apenas foi sob a vontade do Espírito Santo. Nós sabemos que Jesus tudo quis e tudo suportou por mim e por você, mas a ideia aqui é de que a tentação era inevitável, algo como esperado, obrigatório.

Por que era obrigatório?

  1. Jesus tinha que corrigir a atitude de Adão. Ele foi tentado por Satanás e caiu, Jesus deveria ser tentado e sair vitorioso
  2. Ele, como filho de Deus, precisava vencer o diabo
  3. Ele, como humano, precisava passar por isso, precisava sentir o que sentimos, para que pudéssemos ter nele a ajuda de alguém que nos entende e que suportou o que nós passamos e venceu

Algo que devemos levar em conta é a dificuldade do deserto, que diferente do paraíso de Adão:

  • Não tinha água e comida de fácil acesso
  • Não tinha onde repousar
  • temperaturas extremas 
  • ameaça de animais selvagens

Jesus foi tentado como ser humano

O que os outros evangelhos fazem é nos contar as três últimas e mais fortes investidas do inimigo, mas podemos concluir que houveram todos os tipos de teste (Hb 4.15)

Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão.

Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.

As três últimas tentações

Texto base: Lucas 4:1-13

1 E Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto;
2 E quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome.
3 E disse-lhe o diabo: Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão.
4 E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.
5 E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.
6 E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero.
7 Portanto, se tu me adorares, tudo será teu.
8 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te para trás de mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás.
9 Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo;
10 Porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem,
11 E que te sustenham nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra.
12 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor teu Deus.
13 E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo.
Lucas 4:1-13

Não existe ninguém que seja imune à tentação, pois até mesmo Jesus, o homem perfeito, foi tentado!

Porque jesus, foi tentado?

Uma realidade humana

Devemos levar em conta o fato bíblico e teológico incontestável de que Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Como Deus, não podia ser tentado, mas como homem, mesmo sendo perfeito, sim (João 17.5, Filipenses 2.5-11, Hebreus 2.17).

5 De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
6 Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
9 Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
10 Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
11 E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.
Filipenses 2:5-11

Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.
Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.

Hebreus 2:17,18

Aqui nós vemos um Deus, abrindo mão, abdicando de seus poderes, para sofrer as tentações da mesma forma que nós

Como homem Ele foi tentado em todas as coisas, assim como nós, porém, não transgrediu (Hebreus 4.15).

À luz do ensino bíblico, portanto, a tentação de Jesus Cristo foi real e não apenas uma encenação. O homem perfeito, Jesus, foi tentado em tudo, mas não pecou! (1 Pedro 2.22).

Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Hebreus 4:15

Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.
O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano.

1 Pedro 2:21,22

Nós temos força para suportar a tentação: 

Lucas revela que Cristo foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto para ser tentado pelo Diabo. Jesus, em sua condição humana, foi capacitado pelo Espírito Santo para enfrentar Satanás. 

Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.

1 Coríntios 10:13

Dito isto, vamos agora focar nas três ultimas tentações de Jesus:

1- A tentação de criar atalhos, quebrar as regras

Não há nada de errado em querer comer e beber, principalmente depois de um jejum tão longo. Então por que consideramos o ataque do diabo com pães uma tentação?

O que devemos levar em conta é o tipo de jejum que Jesus estava fazendo; note que lemos acima que ele esvaziou-se de si mesmo (Fp 2.5-7), abdicou de seus privilégios, ou seja, transformar as pedras em pães não seria algo não legítimo, pois ele estaria pegando atalhos, quebrando as regras.

Aplicação

Muitas vezes nós somos tentados a fazer coisas não seguindo as regras; pegando atalhos. Nós, muitas vezes fazemos propósitos com Deus e depois queremos pegar atalhos. Testamos os limites do certo e do errado, tentamos criar brechas, exceções

2- A tentação de ser celebrado e a busca pelo poder terreno

O príncipe deste mundo: No texto de Lucas 4.5-8, o Diabo oferece a Jesus domínio sobre os reinos do mundo. Jesus não contestou as palavras de Satanás quando este afirmou que possuía autoridade sobre este mundo (Lucas 4.6)., confirmando o que lemos acima, sobre ele se esvaziar

Vivemos em um mundo caído e com um sistema iníquo, mas, assim como Jesus Cristo, não fazemos parte dele (João 8.23, 17.9, 18.36).

A busca pelo poder terreno

Por trás desse sistema iníquo existe toda uma filosofia de domínio. Esse poder pode estar presente tanto na esfera material como na espiritual. É a busca pela glória e poder terreno.

O Diabo sabe que o desejo de ser celebrado, de ser chamado “senhor”, é algo que fascina os homens. Satanás sabia que derrubaria Adão se o convencesse de que ele poderia se tornar poderoso ao adquirir conhecimento.

Adão acreditou que até mesmo poderia ser como Deus (Gênesis 3.5). A isca foi lançada e Adão a mordeu! O Diabo por certo acreditava que o mesmo aconteceria com Jesus, o Filho do Homem.

Aplicação

Há a ilustre frase: Quer conhecer uma pessoa, dê poder à ela!

O Poder transforma vidas, corrompe pessoas (ou revela pessoas corrompíveis, como preferir…) e destrói famílias.

Nós temos que nos policiar quanto às ofertas de poder, de ser notado, a forma que conduzimos essas variáveis nos definem e mostram nosso caráter a todos.

3- A tentação de ser aprovado/ notado / ser o centro das atenções

O Diabo não desiste nas primeiras derrotas e arrisca tentar Jesus mais uma vez com seu jargão predileto: “Se tu és” (Lucas 4.9). Todavia, agora ele acrescenta a frase: “porque está escrito” (Lucas 4.10).

A busca pelo prestígio

Quanto maior a altura, maior queda, certo? Quando o Diabo quer ver a queda de alguém, levá-lo até o ponto mais alto pode ser uma de suas estratégias (Lucas 4.9).

É a tentação de ser visto, de ser notado. Era algo muito tentador saber que dezenas, talvez centenas de pessoas, estariam ali para ver e aplaudir aquela cena com características cinematográficas.

Aplicação

A tentação aqui não é a fama, pois em muitos casos ela é inevitável; Jesus precisava ser “famoso” (entendam este famoso como “conhecido”) para que o evangelho fosse propagado.

O pecado aqui é cometer o mesmo erro de Satanás, querer ser igual a Deus; receber adoração; 

Isto é um pecado complicado: nós queremos nossa parcela de reconhecimento, nós queremos ser bons em algo, ter mérito, mas o fato é que querer receber o mérito que é de Deus, isto sim é um erro.

Concluindo

Irmãos e irmãs, concluímos aqui nosso pequeno estudo ou esboço sobre as tentações de Jesus.

Espero que isto te ajude e te edifique de alguma forma. Compartilhe com todos e propague o evangelho. Graça e paz!

Gostou deste artigo? Quer aprender mais da bíblia? navegue pelos nossos menus e conheça nossa sessão “Compreendendo a Bíblia
Quer pedir algum artigo, ser nosso patrocinador ou nos enviar um “olá”? clique aqui

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *