Yeshua ha Mashiach ou Jesus Cristo?

Você já foi confrontado por alguém que disse que o nome Jesus não é a forma correta a ser utilizada pelos cristãos, antes, que para a salvação deveria ser utilizada a expressão Yeshua ha Mashiach?

Essa é uma questão importante porque dela depende a salvação dos homens.

A orientação vem de Atos dos apóstolos 4.12

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”

1. O nome pelo qual o ser humano é salvo

Ora, At 4.12 mostra que, de fato, é de suma importância o nome “pelo qual importa que sejamos salvos”. Mais do isso, o nome é mesmo um tema sine qua non para a salvação eterna do ser humano.

Se “não existe nenhum outro nome”, e a pessoa interessada, como eu, quer ter sua alma salva, então é preciso saber que nome é esse, não?

As pistas que temos acima são: esse nome não está escondido, está “entre os homens” e, em segundo lugar, que esse nome foi “dado”.

1.1  Um nome “entre os homens”

Tanto não está escondido que a revelação desse nome salta aos olhos, em 1ª Timóteo 2.5 “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”. Pronto, o nome então, é JESUS CRISTO.

CRISTO, MESSIAS e UNGIDO

Deixe-me abrir um parêntese, aqui.

Para os que não estão assim acostumados com a história da salvação cristã, que fique claro que o termo Cristo é um título.

O título Cristo é uma palavra grega que pode ser traduzida como “coberto com óleo”, o equivalente ao título hebraico Messias, e ambas, Cristo e Messias, traduzidas para o português, significam ungido.

1.2  Um nome “dado”

Mas, o nome JESUS, que o apóstolo Paulo cita em sua primeira carta a seu discípulo Timóteo, 2.5, é um nome que foi “dado”, segundo a exigência de Atos 4.12? Vejamos.

O evangelho de Lucas informa que o anjo Gabriel foi “enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galileia, chamada Nazaré”, 1.26, e o mesmo anjo faz saber à Maria que ao filho dela já foi dado um nome que ela deverá utilizar no bebê que conceberá: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus”, Lucas 1.31.

E Maria e José foram obedientes a Deus e ao anjo: “deram-lhe o nome de JESUS, como lhe chamara o anjo”, Lucas 2.21. E como os pais falavam aramaico e hebraico, nessa língua a criança era conhecida como Yeshua, bem como era costume, na Palestina da época de Jesus, o recém-nascido ter também o nome do pai junto ao seu, deste modo, Jesus era conhecido por seus parentes, amigos e vizinhos como Yeshua Ben Youssef, que traduzido para o português é Jesus, filho de José.

Disso se conclui que o nome dado entre os homens pelo qual importa que o ser humano seja salvo é JESUS, esse é o messias, o que salva o seu povo dos seus pecados, Mateus 1.21.

2. Yeshua ha Mashiach ou Jesus Cristo?

Para esclarecimento, Yeshua ha Mashiach se traduz por Jesus, o Messias. “A palavra ‘messias’, porém, ocorre apenas duas vezes no NT grego, somente em Jo 1.41 e 4.25. Em ambas as ocasiões, refere-se a Jesus de Nazaré” *

Muito embora esteja escrito, na Bíblia, com todas as letras, que o nome que todo ser humano deve invocar é JESUS, o Cristo, o Messias, o Ungido, ainda há quem afirme que o Cordeiro de Deus, que morreu na cruz do Calvário, deve ser invocado apenas como Yeshua ha Mashiach! A questão gira em torno dos temos, das palavras utilizadas.

Vamos deixar claro aqui que a regra básica da hermenêutica, ou seja, a regra áurea de interpretação de texto bíblico é: A Bíblia interpreta a própria Bíblia.

Portanto, deve-se perguntar à Bíblia o que ela tem para informar acerca disso, e o que ela disser encerra a questão para nós, cristãos.

2.1 Em algum momento JESUS foi confessado ser ha Mashiach?

Sim, JESUS é reconhecido como ha Mashiach, em Jo 1.41 “Ele achou primeiro o seu próprio irmão, Simão, a quem disse: Achamos o Messias (que quer dizer Cristo)”. Aqui, no texto, o Jesus que os discípulos seguem foi reconhecido ser o Messias de Israel: “Achamos” ha Machiach. Os discípulos reconheceram que Jesus era o cumprimento das profecias e esperanças de Israel. E o estudante da Bíblia deve notar também que essa expressão não será utilizada novamente por um discípulo de Jesus, em nenhuma outra parte de todo o Novo Testamento! Ou seja, sempre será utilizado o nome JESUS.

2.2 Jesus confessou ser ha Mashiach?

Sim, em João 4.25,26, novamente o apóstolo João registra isso: 25 Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas. 26 Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo.”

Observe: “Eu sei … que há de vir” ha Mashiach, “chamado Cristo”. Aqui, João já informa que o título em hebraico seria utilizado em grego, Cristo! E Jesus aceita tudo isso! Aceita o título e, mais ainda, fica em destaque a maneira como o apóstolo escreveu: 26 Disse-lhe Jesus: Eu o sou!”.

Pergunto, se a forma correta de se dirigir ao salvador fosse ha Mashiach, a Bíblia não traria: Disse-lhe ha Mashiach: Eu sou?

A conclusão é clara: Jesus é ha Mashiach, porque ele mesmo aceitou isso, em Jo 4.25,26, e mesmo assim, em momento algum foi alterado o nome que o anjo, a mandado de Deus, o Pai, deu ao Salvador: JESUS!

2.3 Qual é o nome que é temido pelos demônios?

At 19.15: “Mas o espírito maligno lhes respondeu: Conheço a Jesus e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?”. Note que o espírito maligno conhece Jesus, repreende os exorcistas farsantes, mas não denuncia erro algum nos nomes citados, Jesus e Paulo!

Conclusão

A expressão ha Mashiach é utilizada na Bíblia, mas não é adotada. Simples assim!

O nome dado, da parte de Deus, pelo anjo Gabriel, foi JESUS!

E se a argumentação for que o Novo Testamento foi escrito em grego, portanto, se perdeu a forma original? Ora, o Deus que inspirou as Escrituras Sagradas também não orientou o idioma em que deveria ser inscrito?

O estudante da Bíblia, que crê na doutrina da Inspiração das Escrituras, deve perguntar-se: O Deus que vela por sua Palavra, deixaria passar uma perversão tal do texto que o nome do Salvador ficaria desconhecido da maior parte do mundo? A resposta a essa pergunta é um sonoro NÃO! Ou seja, o Deus que vela por sua palavra para a cumprir estabeleceu que será ao nome de JESUS que todo joelho se dobrará.

Se Deus quisesse que o nome do seu Filho fosse pronunciado em hebraico ou aramaico, Ele mesmo teria deixado isso claro. Mas, sendo os manuscritos autógrafos sem erros, o Pai deu o Novo Testamento em grego, portanto, seu nome é JESUS, e ele é o Cristo! A menos que seu idioma nativo seja o hebraico, a nenhum de nós, de qualquer nação, é requerido que se pronuncie o nome e o título do Salvador naquele idioma.

Aqueles que não aceitam o nome JESUS e se apegam exclusivamente ao Yeshua ha Mashiach tendem a colocar em dúvida as Escrituras.

A salvação é exclusivamente pela fé em Jesus Cristo. A confissão do nome Jesus é o que conduz à vida eterna:

Romanos 10. 9-11 9 Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. 10 Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. 11 Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido”.

Então, não se confunda: JESUS, nesse nome há poder!

Faça comigo agora, esta oração:

Senhor JESUS:

– reconheço que sou pecador,

– que por mim mesmo não consigo a salvação eterna,

– reconheço, JESUS, que o Senhor se sacrificou no Calvário, em meu lugar,

– Aceito esse sacrifício como meu substituto: Eu deveria ter morrido naquela cruz,

– Mas, neste momento, o confesso, JESUS, como Senhor da minha vida, agora e para sempre. Amém.

* BROWN, Colin. ed. Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. São Paulo/SP. Editora Vida Nova, 1989. vol. II, p. 488.

Davilson J. Araújo

Tags:

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *