Como estudar a Bíblia?

Neste artigo abordamos algumas dicas valiosas para que você possa retirar o melhor dos textos.

Texto base: 1 Coríntios 2.1-16

E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria.
Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado.

Objetivos

  • Estar ciente de que, usando as ferramentas certas, o estudo da Bíblia terá muito mais proveito
  • Valorizar o estudo da Bíblia, sentir o que é “tirar o ouro dessa mina preciosa”
  • preparar a todos a superioridade desse livro transformador

Socorro! Não sei e não gosto de estudar! Talvez esse seja seu “grito”. Mas o convite desta lição é para que você conheça passos práticos para aprender a estudar o livro que Deus inspirou e, portanto, é por meio desse livro que Deus quer falar com você todos os dias.

Estudar a Bíblia sem, evidentemente, deixar a escola bíblica e os cultos da igreja dará a você uma alegria e uma satisfação especial. Descobrirá que Deus o capacitou a entender Sua Palavra e, assim, sua Vida cristã ficará mais rica com os tesouros que serão encontrados

1. Como ler a Bíblia?

Existem duas atitudes que devem ser cultivadas na leitura das Escrituras.

1.1 Oração

Para ler a palavra de Deus, necessitamos da iluminação do Espírito Santo que nos capacita para compreender as verdades nela contidas, pois são verdades espirituais que se discernem espiritualmente. Devemos, portanto, orar pedindo Seu auxílio. O salmista orou:

“Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei. (Salmo 119.18)

1.2 Meditação

Precisamos também meditar naquilo que estamos lendo, pois assim conseguimos fixar melhor os ensinamentos contidos na palavra de Deus. Tal ensinamento é exemplificado em dois textos bíblicos:

“Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido”. (Js 1.8).

Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite” (Sl 1.2).

2. As quatro leis do estudo bíblico

Os passos que daremos a seguir são encontrados em toda literatura evangélica, em qualquer língua, quando o assunto é aprender um método prático de como estudar a Bíblia.

O que você vier a aprender, o acompanhará todos os dias da sua Vida. São passos ou leis que farão sua Bíblia começar a falar. Mas, lembre-se, é para ser praticado, com dedicação e amor.

2.1 Observação

O primeiro passo para um bom aprendizado da Bíblia (logicamente após a oração e pedido de iluminação do Espírito Santo) é a observação do texto a ser estudado. O grande problema de nossos dias é querermos tudo “mastigado” sem investir tempo na leitura e observação dos textos bíblicos. Quanto mais olharmos para qualquer texto das Escrituras, mais informações iremos extrair do mesmo.

Mas você pergunta: “O que vou observar no texto?”. Vamos lhe apresentar seis amigos. Eles são seis perguntas investigativas, que ajudarão a descobrir preciosas informações do texto bíblico. Vamos conhecê-los?

As perguntas abaixo, de fato se assemelham com o 5W2H

  • Quem? Pessoas e seres envolvidos. Procure pelos personagens que são mencionados. Muitas vezes podem ser anjos ou animais, além de seres humanos.
  • O Quê? O que aconteceu? Que ideias estão expressas? Descubra a ideia central do texto as principais ideias.
  • Onde? Lugar, local. Muitas vezes, especialmente nos evangelhos, o local será encontrado no texto anterior ou posterior, o que chamamos de “contexto”.
  • Quando? Tempo, época, ocasião. Não é só a data, mas, por exemplo, “enquanto Jesus passava por um povoado”, ou “durante a Páscoa”, etc.
  • Por Quê? Motivo, razão, propósito. Procure descobrir a causa das ações e palavras das pessoas, ou a razão de acontecimentos.
  • Como? Maneira, método, forma. Exemplo: Como os pães e os peixes foram multiplicados? Que método foi usado para fazer tal milagre? Como Pedro negou a Jesus?

Não há muito segredo. Você lê o texto pelo menos três vezes, a fim de se familiarizar com ele. Depois, com papel e caneta ou lápis, você faz essas perguntas para o texto. Muitas vezes, o texto não terá resposta para todas as perguntas, mas sempre terá para a maioria delas.

Vamos praticar? ROMANOS 5.12-21

12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.
13 Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.
14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.
15 Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.
16 E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação.
17 Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.
18 Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.
19 Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos.
20 Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça;
21 Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor.

Peça que os alunos leiam o texto indicado e preencham a tabela a seguir:

Quadro

[colocar o quadro vazio e depois o preenchido]
 ADÃOCRISTO
O que aconteceu?Pecado entrou no mundoNos deu a Salvação
Por quê?Por que pecou contra DeusPor que obedeceu a Deus
Quando?Quando cometeu o primeiro pecadoQuando pagou o nosso preço dando sua vida
Como?Dando ouvido a serpenteSendo crucificado

contraste entre Adão e Cristo (Rm 5.12-21). Estabeleça um tempo de acordo com sua realidade.

2.2 Interpretação

Após observarmos bem o texto, iremos para o próximo passo, a interpretação. Nesse caso, iremos buscar o sentido de tudo o que já foi observado, usando agora algumas ferramentas que muito podem nos ajudar, entre as quais podemos destacar:

  • Dicionário da língua portuguesa (para as palavras difíceis);
  • Dicionário bíblico (para uma melhor visão do contexto e termos usados na época);
  • Enciclopédias (nos dão uma abordagem bem detalhada sobre o assunto);
  • Comentários bíblicos (para analisarmos pontos de vista sobre o assunto);
  • Bíblias de estudo (que possuem vários recursos de estudo);
  • Concordância (buscar outros textos que falam sobre o mesmo assunto);
  • Atlas Bíblico (para conhecer a geografia dos lugares);
  • Bíblias em outras versões (para conseguir sinônimos das palavras não compreendidas).

2.3 Correlação

Correlação é estabelecer pontos em comum na passagem que estamos lendo da Bíblia com outras passagens. Isso facilita, e muito, a nossa compreensão daquilo que estamos lendo, já que vários textos são facilmente explicados por outros.

Existem alguns tipos de correlação que trazem informações úteis ao estudo da palavra de Deus. No livro Métodos de Estudo Bíblico, Walter Henrichsen (Mundo Cristão, p.84-87), encontramos algumas sugestões.

Correlação de palavras

Às vezes, no seu estudo, você descobre uma palavra importante que talvez queira relacionar. Você percebe que essa palavra é importante para a passagem e resolve investigá-la mais. Uma concordância bíblica será sua ferramenta básica.

Correlações paralelas

Trata-se de versículos ou pensamentos virtualmente idênticos. Você pode estudar a parábola do semeador, em Mateus 13.3-23, e consultar os textos paralelos em Marcos 43-20 6 Lucas 8.4-15. Outro exemplo é a crucificação de Jesus, pois o melhor a fazer é comparar os relatos dos quatro evangelhos. Essa é uma forma de enriquecer o estudo bíblico.

Correlações correspondentes

Os escritores do Novo Testamento frequentemente citam o Antigo Testamento. O estudo do contexto da passagem citada, muitas vezes é útil para a compreensão do objetivo pretendido pelo autor. Isso quer dizer que, quando o NT citar uma passagem do AT, sugerimos que você vá ao local (no AT) e conheça outros detalhes do texto citado.

Correlação de contraste

Exemplos contrastantes na Bíblia o ajudam a fixar a ação certa, bem como a pôr em equilíbrio a adequada compreensão daquilo que a Bíblia ensina sobre dado assunto. Por exemplo, como Jesus enfrentou a tentação, em Mateus 4, e como Adão a enfrentou, em Gênesis 3.

2.4 Aplicação

E muito importante observar bem o texto e interpretá-lo corretamente, mas se não buscarmos uma aplicação pessoal para tudo o que lermos nas Escrituras, simplesmente não aproveitamos tudo o que o texto tem a nos oferecer. E necessário sim, investir tempo na leitura, mas algo de grande importância é colocar em prática tudo o que lemos (ver Tg 1.22).

E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Tiago 1:22

Além disso, o propósito principal da Bíblia é mudar nossa vida, e não somente aumentar o nosso conhecimento.

Aprender é mais fácil que praticar. Se você descobre que isso é verdade em sua própria vida, não é diferente da maioria dos cristãos. Entretanto, Deus insiste em que você se esforce para aplicar as verdades Dele à sua vida.

Ao fazer aplicação pessoal, é importante distinguir entre emoção e vontade. Leia Mateus 21.28-32.

Mas, que vos parece? Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha.
Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas depois, arrependendo-se, foi.
E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi.
Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram-lhe eles: O primeiro. Disse-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus.
Porque João veio a vós no caminho da justiça, e não o crestes, mas os publicanos e as meretrizes o creram; vós, porém, vendo isto, nem depois vos arrependestes para o crer. Mateus 21:28-32

Muitas vezes, aplicar a palavra de Deus é uma experiência emocional. Todavia, o que Deus quer é ação, e não apenas sentimento. Outras vezes, se você esperar “sentir” para então “fazer”, é provável que nada seja feito.

Perguntas que devemos fazer na aplicação

  • Há algum exemplo que devo seguir?
  • Há alguma ordem que devo obedecer?
  • Há algum erro que devo evitar?
  • Há algum pecado que devo abandonar?

Nem todo texto bíblico dará resposta a todas essas perguntas, por isso, não precisa forçar a passagem somente para responder a uma pergunta.

Conclusão

Conforme aprendemos nesta lição ,a palavra de Deus não deve apenas ser estudada, deve ser vivida também! Para isso, precisamos aprender e compreender corretamente os princípios nela contidos para que a aplicação seja correta. Muitos dos erros doutrinários existentes em nossos dias se dão pela negligência a um desses princípios aprendidos: observação, interpretação, correlação e aplicação.

‘Nunca devemos negligenciar a atuação fundamental do Espírito Santo, iluminando a nossa mente para que compreendamos e valorizemos a Bíblia, não simplesmente como um livro, mas como a palavra de Deus para todos nós.

Gostou deste artigo? Quer aprender mais da bíblia? navegue pelos nossos menus e conheça nossa sessão “Compreendendo a Bíblia
Quer pedir algum artigo, ser nosso patrocinador ou nos enviar um “olá”? clique aqui

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *