Que tipo de solo você é? Parábola do Semeador

Texto Base: LUCAS 8.4-8

Evangelhos sinóticos: Marcos 4:1-9 Lucas 8:5-8 Mateus 13.1-9


Leitura: Mateus 13:1-9

  1. Tendo Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar;
  2. E ajuntou-se muita gente ao pé dele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia.
  3. E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.
  4. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;
  5. E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda;
  6. Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.
  7. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.
  8. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.
  9. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

Introdução

Não existem pessoas iguais! Não estou falando de aparência, jeito de falar ou andar, mas sim do interior, de como ela age e como ela leva sua vida. Todos somos diferentes. E essa diferença é muito boa e interessante, pois com ela temos ótimas vivências e aprendemos muito com o tempo, tanto pelos erros como pelos acertos. Mas trazendo isso para o lado espiritual, como essas diferenças podem interferir em nossa vida?

Não é novidade que o coração do homem é enganoso e que ele é repleto de emoções e sentimentos passageiros, conforme aponta o profeta Jeremias em Jeremias 17.9

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? 

Jeremias 17:9

Vamos analisar os tipos de solo/ corações:

Duro (Beira do caminho);

“Portanto, ouçam o que significa a parábola do semeador:

Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho.

Mateus 13:18,19

Não sei vocês mas eu por muito tempo encarei os versos acima como pessoas a serem evangelizadas, que ouvem a palavra, não a compreendem, não querem entender, não querem se aprofundar, mas não podemos nos limitar apenas a isto e esquecer o “a beira do caminho”.

A beira do caminho pode indicar “quase no caminho”, pode indicar perto do caminho, na borda… “na beira”. como o texto diz.

Olhando pra isto, penso que esta palavra pode ser pra mim, pode ser pra você, pode ser para um irmão criado na igreja, um filho(a) de pastor e presbítero criado(a) na igreja. Alguém que esteve perto do certo, mas simplesmente não compreende. Pode estar há anos na igreja e simplesmente não é transformado pela palavra, Ela não penetra em seu coração.

Temos irmãos que estão há tanto tempo na igreja que simplesmente acreditam que não há mais nada para “aprender” do evangelho, alcançaram o ápice e agora é declínio.. e isto de fato precisa ser revisto.

Precisamos ser transformados e deixar essa palavra maravilhosa nos moldar. Estar à beira do caminho significa de fato estarmos perto, mas não compreendermos que estamos fora dele. o “não entendem” é algo gravíssimo, é a falta do Espírito Santo para convencer. Eles ouvem, mas não lhe faz sentido. Parece que “não é pra mim”, é sempre “pro meu irmão”

Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 1 Coríntios 2:14

Pedregoso

O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria;
Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende; Mateus 13:20,21

Este tipo de pessoa ouve com alegria a Palavra de Deus e reconhece seu poder, mas é algo que dura pouco tempo. Esses são os “emotivos” ou “imediatistas” que agem no calor do momento, que se alegram no culto e logo depois voltam ao estado de tristeza. 

São aqueles que geralmente fazem milhares de planos no começo do ano e ao findar não realizaram nem um terço. São os que começam uma dieta, um plano de leitura, um projeto qualquer, mas na primeira dificuldade jogam tudo para o alto.

Deus em suas escrituras deixa claro duas coisas a cerca disso. A primeira é que não há aflição maior do que podemos suportar (1 Coríntios 10:12-13) e a segunda é que se resistirmos ao diabo ele fugirá de nós (Tiago 4:7).

Quando não criamos raiz, não temos força contra o vento que pode soprar contra nós. Se não resistirmos ao diabo, ele não fugirá de nós.

Espinhoso

Para entendermos melhor essa passagem vamos a Mateus 13:22 que diz “E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;”

Quem não deseja ter um bom carro, uma boa casa e um bom emprego? Não é errado desejar estas coisas, mas o erro está em como isso está sendo feito.

 O coração semelhante ao solo espinhoso é aquele que recebe de bom agrado a palavra; se anima, até pode começar a desempenhar um bom ministério, pode absorver novas funções e começa a se aproximar de Deus, contudo, em dado momento, seu estilo de vida pede que escolhas sejam feitas.

Em dado momento, ele é indagado a abandonar as práticas atuais. Uma vida da mesma forma já não cabe. Os prazeres da vida não cabem na vida com Cristo. A Bíblia nos diz que “os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;”. Os conceitos de riquezas devem ser abandonados.

Riquezas de forma ilícita, de forma corrupta; pequenos furtos, passar a perna aqui e alí… mentir para ter benefícios, dinheiro de forma fácil… esta é a sedução da riqueza.

Os cuidados deste mundo, as coisas que dão prazer, a visão comum com os demais… isso não cabe mais na vida de Cristão

É nessa hora, nessa escolha, que o espinho começa a espinhar (incomodar) e vai aumentando este conflito, a briga diária começa a ser perdida. O pecado que hoje incomoda, começa a incomodar cada vez menos… quando damos conta, já estamos vazios de Cristo, falar de Deus se torna cada vez mais difícil… as palavras somem, perdem o peso… o Espírito Santo parece estar mais distante e menor a cada dia em nossas vidas… Fomos sufocados….

Perdemos a vontade do ministério, fazemos menos, nos afastamos…

Começamos a secar na busca, nossas ações de Cristão vão se tornando cada vez menos destoantes do mundo… estamos nos tornando iguais ao mundo…

Nosso fruto é morto… não somos mais reconhecidos como Cristãos… já somos iguais ao mundo, não temos sabor, não causamos sede, não damos frutos. Somos uma árvore inútil.

As vezes pensamos que por estarmos na igreja, já estamos salvos. O simples fato de termos um grupo para chamarmos de igreja nos garante a salvação…, mas quando olhamos para a parábola do Joio e do Trigo em Mateus 13:24, vemos que não é bem assim.

Lá diz que o Joio crescerá junto do trigo até o momento da colheita, onde o joio será arrancado e colocado no fogo.

Este momento exige reflexão: estamos dando fruto?

O mundo tem nos sufocado para cairmos nas tentações que ele tem? Estamos buscando unicamente o que nos convém nesta terra?

Somos frutíferos? eu te convido a perguntar: quantos frutos nós demos hoje, ontem? na última semana? em 2020?

Quando foi a última vez que você falou de Jesus pra alguém?

Frutífero (Boa terra).

Mais à frente, no mesmo capítulo, podemos ler a explicação Em Lucas 8.15: “Mas as que caíram em boa terra são os que, com coração bom e generoso, ouvem a palavra, a retêm e dão fruto, com perseverança “.

Dessa vez a semente caiu em boa terra, ou seja, a Palavra de Deus atingiu o coração daqueles que ouvem e entendem a Palavra. Nessa passagem, Lucas apresenta 6 características que o solo Frutífero possui, que são:

1 Bom: Humilde

Possuiu uma vida harmoniosa, sem malicia. O Espirito de Deus flui naturalmente, porque a Palavra está presente.

2 Generoso

Possui boa índole, bom caráter. Sua integridade serve de exemplo para outras pessoas.

3 Ouvinte da Palavra

Não escuta somente palavras, mas reconhece a voz de Deus. Busca discernimento e sabedoria, moldando sua vida conforme a vontade do Senhor.

4 Retentor da Palavra

Guarda, faz reserva, não deixa largado. Estuda a Palavra e permanece fiel a mesma, não a esquecendo.

5 Frutífero: 

Não guarda para si o que recebe de Deus. Seus frutos são internos e externos. Internos na mudança do seu próprio ser e externos na multiplicação que faz da Palavra de Deus para outras vidas, produzindo mais vidas cheias do Espírito Santo.

Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos.

Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.

Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer. Tiago 1:22-25

6 Perseverante: 

Não se deixa desanimar com facilidade. Ele luta e não desiste dos projetos, continua sua caminhada confiando em Deus. Suas ações têm início, meio e fim. Firme e estruturado, não abala sua fé.

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 2 Timóteo 4:7

A Palavra de Deus pode ser falada a vários corações, mas não surtirá o mesmo efeito em todos, tendo em vista que a qualidade do solo (coração) afeta o recebimento da semente (Palavra).

Que tipo de solo você é? Que tipo de coração você tem sido ao ouvir a palavra de Deus?

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *